Abstract Linear Background_edited.jpg
LINA_BLOG__-05_edited.png
LINA_BLOG-06.png

Precisamos falar de educação financeira!


Aprender a lidar com finanças no âmbito particular influencia a dinâmica econômica do país como um todo, pois conforme os indivíduos e empresas gastam ou investem seu dinheiro, a economia do país pode ou não crescer, com mais ou menos investimentos em determinadas áreas e setores da economia, com impactos diretos na vida de todos nós.


Segundo dados da CNC - Confederação Nacional do Comércio - o número de brasileiros endividados aumentou no final de 2020, muito por conta da pandemia do Covid-19, mas também pela falta de conhecimento em como lidar com o dinheiro.

Já pesquisas realizadas pela AEF Brasil - Associação de Educação Financeira - mostraram que 45% dos jovens entre 18 e 24 anos não sabem administrar seu dinheiro e acabam se tornando inadimplentes, pois começam a trabalhar e enxergam no cartão de crédito uma facilidade que os deixam endividados.


Educação financeira é, basicamente, o conhecimento relacionado ao dinheiro e sobre como ele funciona. Economizar é importante, mas é indispensável compreender como os juros, a poupança, a inflação, o crédito e os investimentos impactam as nossas vidas, bem como entender como funcionam os diferentes produtos financeiros que estão disponíveis no mercado e como eles podem ajudar no controle das nossas finanças. Somente entendendo um pouco sobre o universo financeiro, será possível tomar decisões estratégicas e conscientes em relação ao dinheiro.


Em agosto de 2021 o Banco Central do Brasil (BC) criou o programa PLA-POU-CRÉ, um curso de educação financeira nas redes municipais, estaduais e federais, com o objetivo de ensinar educação financeira em mais de 100 mil escolas. O curso foi construído a partir de três palavras: PLA - planejamento, POU - poupança - e CRÉ - crédito, e pretende atingir mais de 5 milhões de alunos até o final de 2022. Todas as aulas e formações são voltadas para o Ensino Fundamental.


“Talvez a criança não aproveite o CRÉ porque não tem acesso ao sistema financeiro, ou tenha alguma dificuldade com o POU porque os recursos são escassos, mas quero incutir nela o conceito”, disse o diretor de Relacionamento Institucional do BC, Maurício Moura.

A versão piloto do projeto foi iniciada em Abril de 2021 e contemplou cinco Estados: Pará, Ceará, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraná e o Distrito Federal. Ao todo, 1.630 municípios participaram, somando 308 mil alunos e 10,4 mil escolas. A segunda fase será ampliada para, em 2022, atingir a meta de 5 milhões de alunos.


E como aprender sozinho?


Você pode começar lendo nosso artigo sobre o que é política econômica, para ter uma ideia geral sobre como funciona a economia no nosso país, clicando aqui.

Finanças pessoais é geralmente um assunto que não se discute em família e, muito menos, nas escolas. Para se inteirar mais sobre temas de finanças e educação financeira, nossa dica é que procure fontes como:

  • Plataformas de streaming com conteúdos sobre educação financeira;

  • Cursos online, aproveitando que a internet oferece uma infinidade deles, gratuitos ou pagos;

  • No YouTube, um canal bem famoso que fala de forma fácil e didática sobre esse tema é a Nath Finanças;

  • Em livros sobre educação financeira, inclusive, existem sessões dedicadas a este tema nas livrarias.


A educação financeira é essencial para pessoas em todas as faixas de renda do país, pois todos buscam tranquilidade e segurança para aproveitar a vida. Entender como funciona a economia, bem como os produtos e serviços financeiros ofertados no mercado, é a forma mais consciente de lidar com o seu dinheiro.



3 visualizações

Posts recentes

Ver tudo